Questões de sustentabilidade do planeta e o papel dos contadores são discutidos em painel


Por Maristela Girotto
Comunicação CFC

As responsabilidades dos profissionais da contabilidade, em relação ao processo global de integração de informações contábeis às de natureza “pré-financeiras” em relatórios corporativos, foram destacadas pelos palestrantes José Luis Lizcano Álvarez e Vania Borgerth, no painel Relato Integrado, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e os Indicadores de Sustentabilidade.

Realizado na manhã desta quinta-feira (21), durante a XXXIV Conferência Interamericana de Contabilidade (CIC) e XVIII Convenção de Contabilidade do Rio Grande do Sul (CCRS), o painel foi moderado pela conselheira do CFC Ticiane Lima dos Santos.

“A sustentabilidade do planeta não é apenas uma questão de políticas de governo ou de estratégia de empresas, mas algo que deve ser compromisso de toda a sociedade”, afirmou Vania, destacando a capacidade técnica dos profissionais da área contábil para assumir esse papel: “Nós somos agentes de transparência do mercado”.

Membro do Grupo de Trabalho (GT) do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) que elaborou a minuta da NBC CTG 09 – Correlação à Estrutura Conceitual Básica do Relato Integrado, Vania é coordenadora da Comissão Brasileira de Acompanhamento do Relato Integrado e possui ampla participação internacional em entidades reguladoras da área.

Para a palestrante, os contadores são os profissionais que melhor sabem reportar as informações corporativas, transmitindo confiabilidade, responsabilidade, evidenciação e transparência. “Estamos acostumados a olhar para informações econômicas, dando pouco valor às questões sociais, ambientais e de governança, mas se tornou essencial também prestar atenção aos itens da Agenda ESG”, afirmou.

Vania destacou ainda que, com o avanço dos entendimentos globais em torno dos relatórios de sustentabilidade e, especialmente, com a criação do International Sustainability Standards Board (ISSB) pela Fundação IFRS – International Financial Reporting Standards (IFRS), esse tipo de relatório corporativo deverá se tornar obrigatório em futuro breve.

O outro palestrante do painel, José Luis Lizcano Álvarez, diretor gerente da Asociación Española de Contabilidad y Administración de Empresas (AECA), apresentou, de forma virtual, informações de entidades internacionais da classe e diversas iniciativas que estão sendo desenvolvidas no sentido de padronizar informações corporativas relevantes para a tomada de decisões, considerando os impactos ambientais, sociais e de governança.

A reprodução deste material é permitida desde que a fonte seja citada.



Fonte Original