da Comissão da Mulher à Presidência dos CRCs


Por Lorena Molter

Comunicação CFC

Conselheira do CFC Angela Dantas.
Imagem: Arquivo CFC

Um caminho para a mulher descobrir o seu espaço e as suas potencialidades. Um espaço para a troca de experiências, o networking, a emancipação, a união e o crescimento pessoal e profissional. Essa foi a escolha das contadoras nordestinas Angela Dantas de Mendonça e Dorgivânea Arraes. Hoje, ambas são referência para outras profissionais da contabilidade e contribuem ativamente para o desenvolvimento da classe contábil brasileira.

A sergipana Angela Dantas é, atualmente, conselheira do Conselho Federal de Contabilidade (CFC). A sua atuação no Sistema CFC/CRCs impacta positivamente o dia a dia dos mais de 520 mil profissionais da contabilidade brasileiros. A empresária contábil é representante da autarquia na Comissão Nacional da Receita Federal do Brasil (RFB) para o Serviço Público de Escrituração Digital (Sped) e no Grupo de Estudo do Encat/Confaz para Simplificação Tributária dos Estados e do Distrito Federal.

Dantas representa o CFC em pautas essenciais para simplificar a rotina dos profissionais e contribui para a evolução da classe contábil. Respeitada em reuniões com grandes órgãos do governo, a contadora leva a esses locais as demandas da Contabilidade e presta assessoria sobre possíveis soluções para os tópicos apresentados. A empresária conta como esses ambientes de diálogo foram sendo construídos. “Quando você vai para um espaço em que leva conhecimento, leva posições firmes e mostra seu campo ético, as portas começam a se abrir. Você se solidifica dentro dessas entidades. Eu desenvolvo, hoje em dia, pautas extremamente difíceis, complicadas e muito importantes para a classe contábil, que são as pautas da Receita Federal, do Ministério do Trabalho, da PGFN [Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional], e conseguimos executá-las com muita clareza e confiança”, explica.  

Apesar dos resultados expressivos que tem alcançado nos últimos anos, Dantas mantém a postura humilde e atribui muitas das conquistas de hoje ao trabalho daqueles que a antecederam. “Os dirigentes desses órgãos adquiriram respeito pelo Sistema CFC/CRCs. O Conselho Federal, hoje em dia, está em um estágio de respeitabilidade dos mais altos possíveis. Alguns dos que me antecederam começaram a abrir esse espaço e conseguimos consolidá-lo. Hoje podemos dizer que temos uma troca de informações e uma parceria muito forte com os órgãos que têm o controle tributário do país. Isso significa que conhecimento, respeito e campo ético é que fazem a diferença. Tenho também muito orgulho dessa trajetória” afirma.

Os resultados alcançados no Sistema CFC/CRCs, atualmente, são fruto de um percurso iniciado há alguns anos, quando Angela Dantas passou a fazer parte da Comissão da Mulher Contabilista do Conselho Regional de Contabilidade de Sergipe (CRCSE). “A Comissão da Mulher Contabilista foi o meu início em uma relação muito boa com o Sistema CFC/CRCs. Foi quando eu integrei, pela primeira vez, ações dentro do meu Regional. Para mim, foi o início de tudo: uma parceria muito boa, um respeito muito bom, a possibilidade de conhecer, principalmente, o quão grandioso é o Sistema CFC/CRCs, o quanto ele colabora com a sociedade, o quanto nós somos essenciais em todo esse processo econômico e social”. Dantas conta que tem orgulho de ter participado da Comissão. A profissional, inclusive, chegou a ocupar o cargo de coordenadora da Região Nordeste da Comissão Nacional da Mulher Contabilista.

A contadora seguiu a carreira e já ocupou muitos cargos dentro e fora do Sistema. O longo currículo ainda inclui as seguintes funções: membro da Academia Sergipana de Ciências Contábeis – Cátedra 35 – e da Associação dos Peritos do Estado de Sergipe (Apejese); vice-presidente Institucional da Federação Brasileira das Associações de Peritos, Árbitros e Mediadores (Febrapam) e vogal-suplente da Junta Comercial de Sergipe.

Contudo, a experiência mais marcante para a contadora e perita foi ser eleita presidente do CRCSE por dois mandatos (1º de janeiro de 2014 a 31 de dezembro 2017) – algo que, segundo a empresária contábil, marcou a sua caminhada e lhe dá muito orgulho. “Como contadora, eu destaco que o ápice na minha vida profissional foi quando eu fui eleita a primeira mulher presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Sergipe. Foi um reconhecimento da classe sobre a minha atuação perante os colegas e a sociedade; sobre um trabalho sério, ético, em que eu sempre procurei disseminar o conhecimento entre os meus pares”, pontua.

Presidente do CRCPE Maria Dorgivânia Arraes
Imagem: Arquivo CFC

Outra pioneira que faz parte da história da Comissão da Mulher Contabilista é a presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Pernambuco (CRCPE), contadora Maria Dorgivânia Arraes Barbará. A profissional que escreve uma história de sucesso conta como o projeto fortalece as profissionais da contabilidade. “Existe uma rede de apoio, em todo território nacional, com mulheres inspiradoras que ajudam desde necessidades técnicas até o desenvolvimento de habilidades e de competências fundamentais à mulher no mercado de trabalho e na vida classista”, esclarece.

O incentivo ao empreendedorismo, à emancipação feminina e ao desenvolvimento da liderança foram pontos que chamaram a atenção da presidente do CRCPE em seus primeiros contatos com a iniciativa. “Quando ocorreu o convite, me a chamou atenção um dos objetivos do programa, conectado com o desenvolvimento das lideranças femininas nas empresas, nas entidades e no ambiente de negócios, com foco no empreendedorismo e na participação política das mulheres nos assuntos da classe”, recorda.

Maria Dorgivânia Arraes ainda conta que as suas aptidões profissionais foram utilizadas estrategicamente na comissão, assim como trabalhadas para o seu desenvolvimento. “Minha habilidade, à época, era como empresária contábil e professora; então, naturalmente, a coordenadora nacional e outras mulheres da vanguarda do sistema se colocaram como mentoras, contribuindo para o amadurecimento na política, principalmente, no fortalecimento da inteligência emocional para criar condições quando fosse enfrentar desafios e preconceitos.”

A trajetória da empresária contábil também é mais uma prova da força, do talento e da inteligência da mulher nordestina. A contadora é a primeira presidente do CRCPE e, assim como Angela Dantas, faz história. Em seu primeiro mandato (2020-2021), inclusive, ela entregou a nova sede da entidade, obra recebida no alicerce e construída em sua gestão. Em seu currículo, há outros exemplos de protagonismo, como a eleição para a Academia Brasileira de Ciências Econômicas, Políticas e Sociais (ANE) e para a Academia Pernambucana de Ciências Contábeis (Apecicon).

A presidente do CRCPE também impacta o dia a dia de pequenos empresários de todo o país por meio de seu trabalho. A contadora está credenciada como consultora e instrutora do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Pernambuco (Sebrae/PE), e atua nas políticas públicas para melhoria do ambiente de negócios favorável às micro e pequenas empresas, o que ela descreve como “sonhos realizados devido à minha atuação como contadora”. Maria Dorgivânia Arraes também é um elo importante entre esses pequenos negócios e a Contabilidade. Isso porque a profissional é coordenadora nacional do programa “Contador Parceiro – Construindo o Sucesso”. A iniciativa é uma parceria entre o CFC e o Sebrae e tem o objetivo de preparar a classe contábil para formar uma rede de suporte e de consultoria para os pequenos negócios. Para isso, é oferecida aos inscritos capacitação gratuita, na modalidade on-line, dividida em 13 módulos e com duração de 80 horas.

XIII Encontro Nacional da Mulher Contabilista

Em 2023, na cidade de Manaus/ AM, será realizado o XIII Encontro Nacional da Mulher Contabilista, cujo lema é “A nossa trajetória é o NOSSO sucesso!”. O evento será uma oportunidade para o networking, o empoderamento feminino, a promoção da autoestima e a troca de conhecimentos.

Em breve, as inscrições estarão abertas. Portanto, acompanhem os canais de comunicação do CFC e garantam as suas vagas.

A reprodução deste material é permitida desde que a fonte seja citada.



Fonte Original